Colisões de trânsito são uma das maiores causas de traumas faciais

 

Para se ter uma ideia, anualmente, acontecem, só no Brasil, mais de 30 mil acidentes de traumas faciais e de crânio decorrentes de vários motivos que estão entre quedas (especialmente na terceira idade), acidentes esportivos e agressões físicas. Mas as colisões com transportes terrestres (motos, carros e bicicletas), sobretudo em países em desenvolvimento, apresentam um número significativo de vítimas de traumas faciais que, além de colocar a vida em risco, podem deixar sequelas e deformidades expressivas na região da face e crânio, necessitando de intervenções cirúrgicas imediatas, reparação com próteses e até enxertos. E mesmo com o uso de equipamentos de segurança, ninguém está totalmente protegido.

 

Infelizmente, todos os dias chegam aos prontos-socorros, tanto adulto quanto infantil, vítimas da imprudência do trânsito, que em sua grande maioria são homens entre 20 e 30 anos envolvidos em ocorrências de excesso de velocidade, álcool e falta de atenção no transito, além da negação ao uso obrigatório do cinto de segurança. Para as crianças, a falta de adequação ao uso dos mecanismos de segurança como cadeirinhas e de cintos nos carros são um dos motivos principais de traumas faciais que são provocados, por exemplo, pela projeção do corpo contra o banco e o choque da cabeça em partes internas do automóvel, sem falar no risco de serem jogadas para fora. Depois, os acidentes com elas mais comuns são quedas bruscas de bicicletas, brinquedos de altura (escorregador, escadas), beliches e até motocicletas (quando adultos as colocam na garupa).

 

Para evitar tais transtornos, é importante que todos, independentemente de idade ou classe social, sigam os protocolos de segurança ao adentrar veículos – sejam eles de passeio, aplicativos e ou coletivos –, como coocar o cinto de segurança, não beber e dirigir, evitar o uso de celular ao volante e realizar manobras e ultrapassagens imprudentes.  Quando usar bicicletas e motocicletas, lembre-se de colocar capacetes, joelheiras e demais acessórios para desta maneira proteger a vida de todos os usuários.

 

Entendam melhor o que são os traumas faciais:

 

Pode-se dizer que trauma facial ou trauma maxilo facial é todo ferimento localizado na região da face, que afeta consecutivamente a pele, gordura, músculos, nervos e ossos. Com isso, as vítimas podem perder a sensibilidade na pele, terem retrações, lesões oculares, paralisia facial, dificuldade de respiração, perda de dentes, cicatrizes e marcas para a vida toda. Nos casos mais severos de traumas pode-se, ainda, ocorrer lesões cerebrais e até óbito.

 

Sobre Marcelo Fardin: é Mestre em Cirurgia de Cabeça e Pescoço; Cirurgião e Traumatologista Buco Maxilo Facial; e Estomatologista. Opera nos mais renomados hospitais de São Paulo e do Brasil. Atende no seu consultório particular em dois endereços: Rua Voluntários da Pátria, 2128, sala 11, Santana – SP – 11-2283-3865 / 11-2959-3554 / e Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 229 – Conj. 508, Itaim – SP – 11-3459-4135 / 11-3459-4136.

 

Texto:  Prof. Dr. Marcelo Fardin – CRO: 49423

Mestre em Cirurgia de Cabeça e Pescoço; Cirurgião e Traumatologista Buco Maxilo Facial; e Estomatologista.

Contribuição Textual: Jornalista Carina Gonçalves – MTB 48326

www.clinicafardin.com.br

 Facebook e Instagram: @doutormarcelofardin

Clínica Fardin – www.clinicafardin.com.br

Rua Voluntários da Pátria, 2128 – Sala 11 – Santana – SP

 Fones: 11-2283-3865 / 11-2959-3554

Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 229 – Conj. 508 – Itaim – SP –

Fones: 11-3459-4135 / 11-3459-4136

Contribuição Textual: Jornalista Carina Gonçalves – MTB 48326

11-4113-6820 / 11-98092-6021

carinacgoncalves@gmail.com

 

 

.